Avaliação: Lamborghini Huracán Performante

Mais potência + menos peso + aerodinâmica refinada = um novo monstro está à solta nas pistas

Fotos: Divulgação | Texto: Csaba Csere

Qualquer noção de que a Lamborghini fabrica outdoors chamativos para cantores de rap ou lutadores de MMA será completamente eliminada pelo novo Huracán Performante. Pense no Performante como a versão GT3 do Huracán, um status que o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Lamborghini, Maurizio Reggiani, concedeu ao modelo em quatro áreas de aprimoramento.

Primeiro veio uma redução de 45 kg, graças ao maior uso do composto forjado de fibra de carbono patenteado pela Lamborghini no splitter frontal, na tampa do motor, no para-choques traseiro e no difusor. Também há sistema de escape 10 kg mais leve devido à simplificação dos tubos e uma saída centralizada.

O V10 ganha válvulas de titânio, que abrem mais e por mais tempo para melhorar a respiração do motor, e um filtro de ar menos restritivo. O resultado são 640 cv, 30 a mais que o Huracán básico, produzidos a 8.000 rpm, que é 250 rpm mais cedo que o modelo convencional. A curva de torque também sobe 4,1 mkgf, e isso significa que o motor é mais forte em qualquer ponto.

Lamborghini Huracán Performante

Para colocar essa força toda no asfalto, o Performante ganhou buchas mais firmes, molas 10% mais rígidas e barras estabilizadoras mais espessas para aumentar em 15% a resistência à rolagem. Os pneus deixam de ser Pirelli P Zero e passam a ser do modelo P Zero Corsa, de uso voltado para a pista. Você ainda pode escolher os pneus opcionais P Zero Trofeo R, ainda mais aderentes. Por último, o pacote ALA acrescenta downforce e amplifica todas as melhorias do carro.

Não ficamos tristes por avaliar estas mudanças no circuito de Imola, perto do QG da Lamborghini em San’Agata Bolognese. Embora a pista tenha sido reconfigurada desde a morte de Ayrton Senna em 1994, ele ainda é um circuito extremamente rápido e bem adequado a carros potentes.

RONCADOR

Com o Anima (o nome da Lamborghini para seu seletor de modos de condução) ajustado em corsa, o carro entrega máxima downforce e respostas mais rígidas do amortecedor. O modo corsa, ou pista, também aumenta o peso da direção, com uma relação direta e linear, além de permitir trocas de marcha completamente manuais por meio das aletas na coluna de direção.

A experiência foi revigorante, com o motor gritando seu ronco belicoso à media em que se enchia em direção às 8.500 rpm de forma tão rápida que era preciso concentração intensa para olhar para o conta-giros sem balançar.

A aceleração nas marchas mais baixas é tão forte que você sente a pele das bochechas ser puxada para trás. Mas a ação instantânea dos freios de carbono-cerâmica é tranquilizadora, bem como a direção direta e a suspensão robusta.

Lamborghini Huracán Performante

Em poucas voltas já estávamos vendo o número 275 no velocímetro durante a reta mais longa, e controlando escorregadas nas quatro rodas através das chicanes e usando as zebras para endireitar a linha de traçado do carro. Diferentemente de carros de alto desempenho, a natureza tolerante do Performante torna acessível sua força.

DOCILIDADE

Mude o Anima para o modo strada e você pode vagar pela cidade com uma rodagem confortável e direção leve. O câmbio de sete marchas e embreagem dupla faz trocas suaves, deixando o motor tranquilo em baixas rotações.

A visibilidade para a frente é excelente, e a fileira de botões e interruptores, digna de um avião de caça, no fim se torna decifrável. Alguns toques exibicionistas como a capa de proteção do interruptor de partida podem ser maneirismos, mas fazem parte do que torna um Lamborghini tão especial.

É impressionante encontrar tal docilidade na rua em um carro que acabou de quebrar o recorde de Nürburgring Nordschleife. A Lamborghini ainda tem aparência chamativa, mas agora ele também vem acompanhado de um refinamento e uma velocidade impressionantes.

Compartilhe esse conteúdo



Comentários